Anúncios
Daniel Kabixana, de 38 anos, está desaparecido há cinco dias (: Demilson Ferraz/ Arquivo pessoal)

Um professor indígena da etnia Tapirapé está desaparecido desde quinta-feira (17), em , a 1.160 km de . Daniel Kabixana, de 38 anos, saiu da Aldeia Urubu Branco, onde mora com a família, para fazer um depósito no banco, localizado na cidade, segundo a mulher dele, Fabiola Maremoyo. A previsão era que retornasse no mesmo dia, o que não aconteceu.

Ele entrou em contato com a mulher dele, pela última vez, na quinta-feira. Depois disso, a família não conseguiu mais falar com ele.

Fabiola disse que o marido avisou que estava em Confresa e que já iria voltar para casa.

“Ele ligou à noite, por volta de 19h. Eu estava em e ele deveria voltar para a Aldeia Urubu Branco, onde vivemos, mas desde então não sei mais o que aconteceu”, disse.

Antes de desaparecer, Daniel disse à mulher que estava assistindo a um jogo de , na cidade.

O indígena trabalhava como professor de matemática na Aldeia Hawalorá, localizada em , a 1.329 km da capital, na mesma região do Baixo Araguaia.

“Acho que ele estava bêbado, mas não temos como saber o que aconteceu. Ele não falou que iria para algum lugar. Disse que estava voltando para a aldeia”, lembrou.

Celular de professor indígena está em Goiânia (Foto: Demilson Ferraz/ Arquivo pessoal)

Fabiola pediu que uma prima dela rastreasse a localização do celular de Daniel. De acordo com ela, o aparelho está em Goiânia.

“Não sei como foi parar lá [em Goiânia]. O delegado me falou que talvez ele tenha sido assaltado e os ladrões levado o celular dele”, contou.

O cunhado de Daniel, Demilson Ferraz, informou que a família procurou a polícia para registrar boletim de ocorrência. De acordo com ele, buscas estão sendo realizadas, mas ainda não há pistas da localização dele.