Anúncios
O advogado Léo Catalá, que faz a defesa do personal trainer E.M.

A defesa do personal trainer E.M. informou que seu cliente irá comparecer espontaneamente na delegacia para prestar esclarecimento sobre a acusação de assedio da S.F.W, 14 anos, filha do deputado estadual Pedro Satélite (PSD).

Conforme o advogado Leonardo Catalá, seu cliente foi “condenado” antes mesmo de ser ouvido. Ele atribui o julgamento as postagens da esposa do deputado nas redes sociais denunciando o caso.

A mãe da adolescente, Elyane Favoretto, publicou uma do personal contando que ele havia lhe assediado e que depois de uma recusa, “abordou” sua filha de 14 anos, via aplicativo whatssap. Depois da postagem, a advogada disse ainda que tinha “prints” das conversas que o personal teve com a adolescente. O deputado também se pronunciou acusando o personal pelas redes sociais.

O deputado também se pronunciou sobre o caso na rede social. Para o advogado, as informações são infundadas e o personal irá “tomar” as medidas cabíveis contra todos que lhe acusou falsamente.

“Meu cliente nega veemente os fatos e comparecerá espontaneamente a autoridade policial, esclarecendo que as informações divulgadas pelos pais da menor são totalmente infundadas e improcedentes. Informo ainda, que ele tomará as medidas cabíveis contra aqueles que vem imputando falsamente a ele fatos definidos como crime”, disse o advogado.

INQUÉRITO

O delegado Daniel Valente confirmou a abertura de um inquérito policial na (Deddica) para investigar se houve assédio por parte do instrutor de contra à filha do deputado.

O caso segue em sigilo por ter envolvimento de uma menor e deve ser concluído em 30 dias. Segundo ele, as partes serão ouvidas para investigar o que aconteceu.

A menor, inclusive, prestou depoimento nesta terça-feira (16). O celular dela foi recolhido para que as supostas mensagens com o personal trainer sejam analisadas. O educador físico também deve depor nos próximos dias.