Anúncios
Samuel Luiz Mucham, de 3 anos, faz fisioterapia e fonoaudiologia (Foto: Kellem Andrade Rios Mucham/ Arquivo pessoal)

A família de um menino portador de amiotrofia muscular espinhal, que mora no bairro Imperial, em , está realizando campanhas para arrecadar e comprar uma cadeira de rodas especial para Samuel Luiz Mucham, de 3 anos.

Ele foi diagnosticado com a doença quando tinha sete meses e realizou duas cirurgias de traqueostomia e gastrostomia.

A mãe dele, Kellem Andrade Rios Mucham, explicou que exames clínicos foram realizados após perceber que o filho tinha o corpo mais frágil que as demais .
“Vimos que ele tinha o corpo molinho e decidimos ver um neurologista para dar um diagnóstico”, contou.

O menino recebe tratamentos da Home Care há cerca de três anos. Kellem contou que o filho faz sessões de fisioterapia e fonoaudiologia três vezes por semana.

Pai fez campanha em rede social para pedir doações e adquirir cadeira para o filho (Foto: / Reprodução)

Em 2015, Samuel foi submetido a uma gastrostomia, que é realizada em pacientes que perderam, temporária ou definitivamente, a capacidade de deglutir os alimentos, e a uma traqueostomia para melhorar a respiração.

Kellem cuida de seu filho durante todos os períodos e vende bolos nas horas vagas para complementar a renda.

Segundo ela, a cognição motora de Samuel está preservada, o que possibilita que o menino emita sons e entenda o que acontece à sua volta.

“Por ter a cognição preservada, ele consegue emitir sons e entender o que acontece em sua volta. Ele tem as mesmas vontades de uma criança da idade dele”, afirmou.

Ela fez duas rifas no mês de dezembro, além de receber doações de pessoas que se solidarizaram com a história do menino. Ao todo, ela já conseguiu arrecadadar cerca de R$ 10 mil.

Uma campanha foi feita por meio do Facebook do pai do menino, Luiz Fernando Mucham, para incentivar as pessoas a ajudarem Samuel.

Kellem explicou que a cadeira de rodas é importante para que o filho consiga ter mais qualidade de vida.

“A cadeira de rodas seria uma extensão das pernas dele, porque ele não consegue sustentar o próprio corpo”, afirmou.

A mãe afirmou que a cadeira de rodas tem um custo alto por ser importada. Ela também disse que doações, como alimentos, fraldas e, principalmente remédios, podem ser feitas para dar continuidade ao tratamento do Samuel.

Recentemente, menino recebeu a visita de policiais (Foto: Kellem Andrade Rios Mucham/ Arquivo pessoal )

Na terça-feira (9), Samuel recebeu a visita de um grupo de policiais militares que realizava rondas perto da casa dele.

A mãe levou o menino até a janela, que demonstrou alegria ao ver o veículo com o giroflex do carro da polícia ligado. A PM percebendo o esforço dele, decidiram entrar e conversar com Samuel.

“Ele ficou encantado, todo sorridente e feliz. Foi uma experiência diferente para ele”, disse Kellem.