Anúncios

A mulher de um paciente que ficou internado no Hospital Municipal de Confresa, a 1.160 km de , gravou um vídeo denunciando o descaso no atendimento com o marido na terça-feira (23). Keila Pereira da Silva foi presa após a confusão na unidade hospitalar e o marido dela, João Pereira da Silva, de 26 anos, morreu no mesmo dia após a prisão da mulher.

Em nota, a prefeitura afirmou que Keila se exaltou com alguns funcionários do hospital e, por isso, a polícia foi acionada. O órgão afirma ainda que o paciente recebeu os devidos cuidados e foi submetido a uma cirurgia.

O marido de Keila foi internado com um corte na perna direita, no domingo (21), após um acidente de moto.

O irmão de João, Cleiton Pereira da Silva, que também acompanhou o paciente no hospital diz que o paciente foi desviar de uma poça de água quando se chocou com uma carreta. No acidente, ele cortou a perna direita em metais do veículo.

Segundo os familiares de João, os profissionais de do hospital costuraram o corte sem realizar nenhum exame.

“Depois disso ele ficou bem. Passei uma noite com ele no hospital, conversamos e ele estava contente, fazendo brincadeiras. Depois de um tempo é que ele começou a sentir dor na perna”, contou o irmão da vítima.

No dia 23, segundo Cleiton, a situação do irmão piorou e João começou a ter desmaios causados pela dor intensa.

“A mulher dele vendo essa situação, assistindo o marido agonizando foi pedir socorro na enfermaria. Lá fizeram pouco caso dela. Eles a xingaram de drogada, doída e chamaram a polícia. Ela foi levada do hospital algemada”, afirmou Cleiton.

Após a prisão da mulher, João começou a passar mal e foi levado para a sala de cirurgia. No local, segundo o irmão do paciente, os abriram o abdômen a procura do problema.

“Não estou acreditando ainda. A negligência médica aqui no município é muito grande. As pessoas que estavam esperando por cirurgia no mesmo dia assinaram uma ficha de desistência por causa do que aconteceu”, contou Cleiton.

O caso é investigado pela Polícia Civil. Keila deve prestar depoimento nesta segunda-feira (29).

Ainda segundo a prefeitura, um procedimento administrativo interno foi aberto para apurar todos os fatos e avaliar o atendimento dos servidores da unidade hospitalar.