Anúncios

A jovem Vanessa Tito Poquiviqui Ramos, 21 anos, encontrada morta nesta quarta-feira (31), após ter sido asfixiada, no bairro Três Barras, em , estava seminua e com cortes pelo rosto. O principal suspeito de ter cometido o crime é o namorado dela, Maikon Junior da Silva Dantas, 30 anos. Ele é procurado pelas equipes da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP).

Segundo as informações da polícia, a vítima foi localizada pela mãe do suspeito, que acionou a Polícia. No local, equipe de plantão da DHPP, coordenada pela delegada Alana Cardoso, encontrou a jovem na cama do quarto do casal. O corpo de Vanessa apresentava lesões no rosto, um corte de faca no supercílio e outro corte superficial no queixo. Ela estava com a blusa levantada, seios amostra e só de calcinha.

Segundo informações preliminares, a vítima morava há cerca de 1 mês na casa dos pais do namorado, que é apontado como o principal suspeito do crime. O namorado da vítima ligou hoje cedo para a sogra, dizendo que ela estava morta e que havia tomado vários , o que não foi confirmado pelos socorristas. A mulher foi encontrada morta, com sinais de asfixia.

O caso já é o sexto de registrado em Mato Grosso apenas neste primeiro mês de 2018. Outros casos de agressão e tentativa de homicídio contra , praticadas pelo ex-companheiro, também foram registrados neste mês. O mais recente foi o de Estella Cristina Ribeiro, de 32 anos, que teria sido esfaqueada nove vezes pelo ex-namorado Lucas Silva , de 25 anos, em . A vítima sobreviveu e o suspeito fugiu.

Feminicídio é um termo utilizado para definir o crime de ódio baseado no gênero, amplamente definido como o assassinato de mulheres, mas as definições variam dependendo do contexto cultural. Normalmente os assassinos são companheiros ou ex-companheiros das vítimas.

Para denunciar casos de violência contra a mulher existe um disque-denúncia. O número 180 da Central de Atendimento à Mulher é o canal criado para receber denúncias e orientar mulheres vítimas de violência.