Anúncios

A família de Adrielle Fernanda Arruda Roque de Almeida, de 16 anos, continua procurando a adolescente que desapareceu há quase uma semana com seu namorado Josimar Gonçalves, de 20 anos. Eles foram vistos pela última vez na terça-feira (16) no bairro dos Ipês em Cuiabá e desde então, o Núcleo de Pessoas Desaparecidas da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP), da ,  continua sem pistas.

A tia de Adrielle contou  que mesmo sem nenhuma pista, a família continua à procura do casal. Segundo ela, os dois tinham um relacionamento de um ano. Há pouco tempo Josimar teria se mudado para a casa da adolescente, e na terça-feira, quando voltou do trabalho, a mãe não encontrou nenhum dos dois.

De acordo com a tia, a mãe de Adrielle não aprovava o relacionamento dos dois. Ela também procurou a família dele, mas disseram não ter informações.

“A mãe dela, ultimamente, estava brigando com ele para eles se separarem, ela não queria mais a Adrielle envolvida com ele. Ela também foi atrás da família dele e eles disseram que não sabiam de nada, nem que eles haviam sumido”.

Qualquer informação sobre os dois pode ser informada à PJC pelos números (65) 3901-4823 ou (65) 9 9982-7766.

Casos de pessoas desaparecidas aumentam

O número de pessoas desaparecidas teve acréscimo nos registros e também nos localizados, no ano de 2017. Em Cuiabá e foram 853 comunicações de pessoas desaparecidas, entre adolescentes, jovens, adultos e idosos acima de 65 anos. Em 2016 foram 733 registros. O índice de pessoas localizadas do ano de 2017 é de 92%.

Os adolescentes, jovens e adultos, de ambos os sexos, estão entre os que mais desaparecem. Foram 192 registros de garotas com idades até 17 anos e 127 mulheres na faixa de 18 a 64 anos. Os homens, a maior faixa etária de tem entre 18 e 64 anos, com 334 registros. Os adolescentes com idade até 17 anos  tiveram 87 registros.