Casos de chikungunya mais que dobram em MT entre 2016 e 2017



O número de pessoas diagnosticadas com chikungunya aumentou 140% em 2017, em relação ao mesmo período de 2016 em Mato Grosso, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES). Durante o ano passado, foram registrados 9 mil casos de dengue.

Publicidade

 

Em todo o estado, foram registrados 3.479 mil casos de febre chikungunya em 2017 e, em 2016, 1.443 mil casos.

Leita também:   Novo lote de vacinas contra febre amarela chega ao Brasil

 

Em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, foram notificados 2.331 casos da doença em 2017. A secretaria alerta para um possível surto da doença no período chuvoso.

 

Uma dona de casa afirmou que na família dele cinco pessoas já tiveram a doença. Ela avalia que o acúmulo de lixo em lotes abandonados perto da casa dela possa ter causado a proliferação dos mosquitos.

Leita também:   Cientistas tentam entender 'momento misterioso' do adormecer

“Se cada um cuidasse do seu lote, as coisas ficariam muito melhores”, disse.

A enfermeira de Vigilância Epidemiológica afirmou que a população tem sido orientada a verificar os possíveis criadouros de mosquitos e sobre os sintomas da doença.

“Estamos fazendo a parte educativa, falando sobre água parada e mostrando os principais sintomas”, contou.

Leita também:   Homens são mais atingidos pela hanseníase no Brasil; menor cuidado com a saúde é um dos motivos

Em contraponto, os casos de dengue despencaram.

De 26,7 mil casos registrados em 2016, o número caiu em 2017 para 9 mil casos. O vírus da zika também apresentou queda. Em 2016, cerca de 24,3 mil pessoas tiveram a doença. No mesmo período de 2017, aproximadamente 2 mil casos foram registrados.

Advertisements