Anúncios
Foto: Wesley Santiago/

O caminhoneiro Orlando Moraes de Arantes, 54 anos, morto na sexta-feira (12), no bairro Industriário, em Cuiabá, vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), reagiu ao assalto e atirou contra os criminosos. Porém, não conseguiu acertar os disparos e acabou baleado. O filho dele, Orlando Moraes de Arantes Júnior, foi atingido no abdômen e socorrido logo depois. Ele não corre risco de morte.

O delegado Caio Fernando Álvares de Albuquerque, responsável pelo caso, disse que os criminosos chegaram na residência e perceberam que o portão estava destrancado. O pai estava dormindo dentro de casa, enquanto que o filho chegou da rua e colocou o na garagem. Porém, ele não fechou o portão e afirmou à polícia que era um costume da família.

“Ele ouviu um barulho e foi trancar o portão. Porém, quando terminou, foi rendido pelos bandidos, que já estavam dentro da casa. Anunciaram o roubo já pedindo uma arma que havia na casa, eles sabiam que tinha. Essa arma pertencia a vítima fatal e não tinha registro. Segundo o filho, era para defesa pessoal”, explicou o delegado.

Dentro de casa, o filho do caminhoneiro disse para o pai que estava acontecendo um assalto. Os bandidos então entraram no quarto e, segundo a vítima, em um momento de descuido dos suspeitos, o rapaz disse que o pai pegou a arma que estava debaixo do travesseiro e atirou contra os criminosos.

Porém, nenhum dos disparos atingiu os bandidos, que atiraram contra o pai (baleado na região lombar, pescoço e ombro) e depois contra o filho. Os acusados devem responder por latrocínio e tentativa de latrocínio: “Mesmo eles não tendo roubado nada da residência, o crime está configurado, já que houve a morte de uma das vítimas”, explica o delegado.

O delegado ainda comentou que nenhuma das vítimas tinha passagem. O caminhoneiro morreu no local, enquanto que o filho foi socorrido e encaminhado para uma unidade de da Capital, com um ferimento no abdômen. Ele não corre mais risco de morte.
 
O caso

O crime ocorreu na madrugada sexta-feira (12.01), no bairro Jardim Industriário, em Cuiabá e foi rapidamente esclarecido pela equipe do Núcleo de Investigações Especiais da Delegacia, que esteve no local em atendimento à ocorrência, colhendo informações que levaram a descoberta dos autores.