Anúncios

A magistrada Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, condenou nesta sexta-feira (15) o ex-governador Silval Barbosa. O antigo chefe do poder executivo foi sentenciado no processo proveniente da primeira fase da operação Sodoma, por organização criminosa, concussão e lavagem de dinheiro.

No mesmo processo, Pedro Nadaf, ex-secretário de Casa Civil,  também foi condenado por organização criminosa, concussão, e lavagem. Marcel de Cursi, ex-secretário de Fazenda, foi condenado por organização criminosa e concussão.

Francisco de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, procurador do Estado aposentado, foi condenado por organização criminosa e lavagem de capitais. Sílvio Cézar Correa Araújo também foi condenado por organização criminosa.

Karla Cecília de Oliveira foi condenada por organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Chico Lima e karla foram absolvidos por concussão. Cursi foi absolvido por organização criminosa.

Sodoma I

Na primeira fase da operação Sodoma, em setembro de 2015, oito membros da organização foram indiciados pela Polícia Judiciária Civil e sete deles denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Os envolvidos responderam por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Silval Barbosa foi apontado como chefe do esquema criminoso montado para desviar recursos do erário público, com a finalidade de pagar despesas de campanha política de sua reeleição e angariar recursos decorrentes do pagamento de propina.

A execução de tarefas específicas foi determinada a pessoas de sua confiança, com acesso direto ao palácio do Governo, entre elas Marcel Souza de Cursi, inicialmente, como secretário adjunto de Receita Pública e posteriormente, nomeado como secretário de Fazenda.

As investigações constataram que a antiga Secretaria de Estado da Indústria e Comércio, Minas e Energia (Sicme), atual Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Sedec), concedeu incentivos fiscais, via Prodeic, de forma irregular para empresas.