Anúncios
Rompimento de galerias provocou bloqueio total da pista – Foto: Patrícia Cacheffo

Há mais de 30 dias, comerciantes da Rua Dom Pedro II, no trecho entre a Avenida dos Estudantes e proximidades da Avenida Lions Internacional, acumulam prejuízos devido ao rompimento da via. A interdição, no acesso à Rua Dom Pedro II para quem chega pela Avenida dos Estudantes, tem como cartão de visitas uma cratera que foi aberta pela enxurrada e impossibilita a passagem de veículos. Com o bloqueio total da pista, todo o tráfego intenso que era registrado, em que muitos motoristas acabavam parando nos estabelecimentos da Rua, é direcionado para outras regiões. Algumas lojas, como um viveiro de flores que foi inaugurado há pouco tempo, passam o dia sem receber novos clientes.

O proprietário de uma empresa da área de piscinas, instalada no início da Dom Pedro, calcula que as vendas do estabelecimento tiveram queda de pelo menos 25% desde que a Rua foi interditada. “Tive que fazer por conta própria duas placas e colocar em dois pontos, para indicar como fazer o acesso à loja. Já procuramos vereadores, Prefeitura, e até agora nenhuma resposta”, conta Emerson Gonçalves.

O problema vem se arrastando nos últimos dias, e, com a continuidade das chuvas, tende a crescer se nenhuma medida for tomada.

Foto: Patrícia Cacheffo

OUTRO LADO

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra) informou que “será necessária contratação de uma empresa terceirizada para recuperar os danos causados no local por conta da erosão. A contratação da empresa será feita por meio de licitação”. Nenhum prazo foi informado.

GALERIAS

No início de novembro deste ano, uma reportagem alertava para o entupimento de galerias da canalização na Avenida dos Estudantes, no trecho entre a rotatória que dá acesso ao bairro Colina Verde e a rotatória que dá acesso à ponte Aroldo Marmo de Souza, ao fim da Avenida Lions Internacional. O entupimento foi provocado pela terra de uma obra de paisagismo inacabada, iniciada nesta gestão.

Ao promover a limpeza das margens da Avenida dos Estudantes, entre a rotatória do Anel Viário e do Residencial Mariela, um serviço de terraplanagem foi realizado em determinados pontos. Como a obra não incluía drenagem para a enxurrada que passa pela região, a terra foi levada e entupiu as galerias. Desde então, a água passava somente pela pista da Avenida, até a tubulação que passa por baixo da Rua Dom Pedro II não suportar e romper. Conforme alguns moradores da região, um serviço inacabado da Prefeitura, em que os mesmos não souberam informar se foi realizado pelo Sanear ou pela Coder, também colaborou com este rompimento e interdição total da via