Anúncios

Monitorado por tornozeleira eletrônica e com  antecedentes criminais, Eder Rosa Dias Vieira Júnior, foi preso em flagrante, na quinta-feira (14.12), pela Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos (Derrfva), da , pelo crime de associação criminosa. A prisão ocorreu no bairro Altos da Glória, em Cuiabá.

O trabalho de apuração começou com várias informações da existência de atividade criminosa armada praticada pelo suspeito, um comparsa já identificado e outros. Os crimes, segundo as denúncias, eram praticados a mando de uma facção criminosa, que coordenavam assaltos em residências e roubos de veículos.

Em um dos crimes, no dia 14 de novembro, ocorrido no bairro Itamarati, em Cuiabá, o criminoso e comparsas, invadiram uma casa e mediante grave ameaça com emprego de arma de fogo, roubaram um veículo, dois televisores, celulares e outros objetos da casa.

Os bandidos, conforme narraram as vítimas, foram extremamente violentos e amarraram os moradores da casa.

O veículo, conforme apurou a Delegacia, teria sido enviado para outra localidade, possivelmente outro Estado ou a Bolívia.

O preso foi reconhecido pelas vítimas e interrogado na presença de advogado. Ele negou a prática do crime, alegando, na ocasião, ter saindo mais cedo do trabalho e ido para casa, de onde não saiu mais. No entanto, o monitoramento eletrônico de sua tornozeleira eletrônica mostra que o equipamento foi violado no dia do roubo.

O suspeito já responde por e receptação. Sua tornozeleira eletrônica foi colocada no dia de 2017. Ele disse na Delegacia que o aparelho apresentava defeito, como descarregamentos, e que a trocou após o roubo.

O delegado Marcelo Marcelo Martins Torhacs informou que há prova da existência de materialidade do crime e indícios suficientes de autoria contra o suspeito Eder Rosa.

“O objetivo da prisão em flagrante, em casos de associação criminosa (crime permanente), é justamente cessar, de maneira imediata, a reiteração indefinida de condutas criminosas pelos seus integrantes”, disse.

Considerando que o crime de roubo majorado possui pena máxima cominada superior a quatro anos de reclusão.