Anúncios
: Rogério Florentino Pereira

Quase sempre ácido em suas declarações, o governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que foi eleito para administrar e não para ser “miss simpatia”. Nesta segunda-feira (18), Taques fez um balanço dos últimos três anos de gestão, voltou a criticar a “roubalheira do governo Silval Barbosa” e lembrou que recebe críticas 24 horas por dia, mas afiançou que isso não lhe causa mágoa.

“Tratar gente com respeito e superar desafios. Assim como a dona Maria, o seu José, que superam desafios em suas casas todos os dias, nós estamos superando desafios e construindo um novo futuro, um novo conceito de gestão. Sempre existe a vontade de fazer mais. Eu teria investido mais na segurança, na saúde, na educação, que são áreas essenciais principalmente para os mais pobres. Não foi um erro, nós precisávamos de mais dinheiro para que essas áreas fossem melhor atendidas”, iniciou o governador.

Pedro Taques concedeu duas entrevistas consecutivas à TV Vila Real (antiga – Grupo Gazeta de ), durante mais de uma hora e meia. Ele reagiu com ironia e até certo bom humor ao responder sobre os constantes ataques que recebe da oposição, de dirigentes sindicais e de diferentes segmentos, principalmente nas redes sociais.

“Nós precisamos falar a verdade, as pessoas me criticam por falar a verdade. Eu não estou preocupado em zangar quem quer que seja, eu não sou miss simpatia. Eu fui eleito para resolver problemas”, argumentou Taques, em resposta aos entrevistadores, quanto ao bombardeiro que sofre em setores da mídia e nas redes sociais, em diferentes grupos.

“As pessoas não compreendem que você não tem a fábrica de dinheiro, nós estamos em crise. Eu fui eleito governador, mas eu não sou Deus. Deus é Deus, eu sou um pecador. O governador não pode resolver todas as coisas”.

Para explicitar seu ponto de vista, ele lembrou que há mais de 100 anos a pavimentação da área urbana de até o distrito da Água Fria é esperado e que metade da obra está pronta, mas as pessoas dão ênfase à metade não concluída.

“Esse é o tipo de argumento que me deixa triste, envergonhado. Porque pessoas que pensam assim querem o ‘rouba mas faz’. E eu não concordo com isso, eu estou aqui para fazer a coisa certa. Nós economizamos R$ 1 bilhão, saldamos todos os compromissos com os servidores públicos, inclusive os pagamentos das RGA’s. A crise é nacional, agora que o Brasil está superando a crise e Mato Grosso também. Eu sou otimista, 2018 será um ano melhor, nós estamos todos os dias superando desafios. Mas a verdade precisa ser dita, o salário do servidor público de Mato Grosso não está atrasado, enquanto 12 estados da federação não conseguem pagar o funcionalismo”, reforçou, destacando que apesar dos atrasos não deixou de pagar os honorários dos servidores.