Anúncios
Casas inacabadas foram invadidas em (Foto: Lidiane Cardoso/ Arquivo pessoal)

Com a entrega em atraso, casas do programa Minha Vida, do governo federal, em Alto Araguaia, a 207 km  de , foram invadidas. A obra, que começou a ser construída em 2012 ao custo de R$ 1,1 milhão, está quase pronta. Ainda faltam as instalações de e rede de esgoto.
As famílias contempladas com os imóveis reclamam da demora na entrega das chaves. A dona de casa Lidiane Cardoso, que mora de aluguel e aguarda a liberação do imóvel para ter a casa própria, disse que procurou a prefeitura do município para informar sobre a invasão do residencial que possui 40 casas.

“Montamos uma comissão de pessoas que foram contempladas e também esperam a casa para buscar uma solução. Também denunciamos o caso ao , mas até agora nada foi feito”, afirmou.

As famílias contempladas com os imóveis reclamam da demora na entrega das chaves. A dona de casa Lidiane Cardoso, que mora de aluguel e aguarda a liberação do imóvel para ter a casa própria, disse que procurou a prefeitura do município para informar sobre a invasão do residencial que possui 40 casas.

“Montamos uma comissão de pessoas que foram contempladas e também esperam a casa para buscar uma solução. Também denunciamos o caso ao Ministério Público Estadual, mas até agora nada foi feito”, afirmou.

Descrições da obra em placa apagaram com o tempo (Foto: Lidiane Cardoso/ Arquivo pessoal)

O secretário municipal de Administração, Manoelito dos Dias de Rezende Neto, informou que a prefeitura, por meio da Procuradoria-Geral do Município, busca meios legais para a retirada das famílias que invadiram as casas. “Estamos providenciando a documentação e vamos sentar para discutir com a construtora qual a melhor solução”, explicou ele.

Pelo convênio firmado com o Ministério das Cidades, a prefeitura concedeu o terreno para a construção do residencial.

A responsável pela obra é a HL Nogueira Menezes Ltda. Ao G1, o proprietário da empresa, Humberto Nogueira, disse que a construtora não concluiu o projeto, como o previsto no contrato firmado com o Ministério das Cidades, por falta de pagamento.

Segundo ele, faz mais de um ano que o governo federal não repassa os recursos para dar continuidade ao projeto e, por isso, a obra está suspensa. “Já estive nos órgãos responsáveis pelos repasses. Sem recursos não dá para terminar a obra”, disse.

Em julho deste ano, o Ministério das Cidades publicou uma portaria adiando o prazo de entrega para Casas do Programa Minha Casa Minha Vida para cidades com até 50 mil habitantes, em todo o país.