Anúncios
Rafael Barbosa de Souza (o funcionário), Aderito Batista, Antônio Carlos e Claudinei Jonas. Suspeitos presos pela equipe da DERF pelo roubo em drogaria na área central – : Varlei Cordova

Após investigação realizada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) foi desvendada na noite de quinta-feira (16) a quadrilha responsável pelo roubo em uma rede de farmácias localizada no Centro de que aconteceu no dia 18 de julho de 2016. A quadrilha era formada por oito pessoas  Luiz Henrique Fernando dos , Rafael Rodrigues Ladeia, Rafael Barbosa de Souza Targino da Silva, Aderito Batista da Silva, Claudinei Jonas Pereira, Antonio Carlos Romeiro Lopes, João Helio Fraiz Bardaró, entre elas um funcionário do próprio comércio . e um menor.

O crime foi desvendado após a apreensão de um aparelho , onde havia um grupo de WhatsApp que criaram para planejar o roubo

O Roubo

Segundo o delegado que investiga o caso, no dia do crime, quatro indivíduos chegaram ao estabelecimento em um veículo Voyage branco, três deles entraram, um ficou na porta e dois pegaram o cofre, levaram para dentro do veículo. Ao todo subtraíram o valor de R$ 36,4 mil. Os criminosos já tinham as informações passadas pelo funcionário da farmácia identificado como Rafael Barbosa de Souza Targino da Silva.

No grupo do aplicativo de celular haviam fotos, rotinas dos funcionários, monitoramento das câmeras e local do cofre.

O celular foi apreendido em uma revista feita pelo sistema prisional no Raio 1 da Penitenciária Mata Grande junto aos pertences do reeducando Luiz Henrique vulgo “Moleque Travesso”. No aparelho foi possível saber toda a trama, mensagens trocadas, coletas de informações, planejamento e execução.

Rafael Rodrigues “R7” e Luiz Henrique já estavam presos e foram responsáveis por organizar toda a ação e cooptar com os executores. Aderito ficou encarregado de fazer os levantamentos necessários para o roubo e Claudinei, Antônio, João e o menor incumbidos da execução do crime.

O Planejamento 

Rafael Barbosa (o funcionário) foi quem deu início ao crime, entrando em contato com um suspeito conhecido por “Lekão”, o qual colocou o funcionário em contato com a pessoa de Luiz Henrique. No momento do planejamento da ação, Rafael passou a informar os criminosos referente a rotina da farmácia.

Luiz Henrique, por sua vez, de posse das informações entrou em contato com Rafael R7, com o qual passou a conjurar e organizar a ação e recrutamento que se antecederam a execução do delito e começou a atuar de forma mais proativa que os integrantes do grupo devido ao poder elevado de persuasão.

Em uma das conversas, Luiz deixa claro para ‘R7’ que o suspeito Aderito é quem ficaria responsável por todo o levantamento do ambiente operacional. ‘Moleque Travesso’ deu apoio ao ‘R7’, para conseguirem um que auxiliasse no transporte do cofre. Aderito relatou que o veículo já estava confirmado com um suspeito identificado como João Helio, vulgo “Mano de ”.

Luiz confirma a participação de 4 pessoas na execução direta do crime, sendo três suspeitos que ingressaram na farmácia e o 4° elemento que ficou no veículo para auxiliar na fuga. Durante a investigação, a Polícia constatou ainda que o menor trocava mensagens com Luiz e falava que deveria receber o maior valor, pois ele acreditava que a sua participação era mais arriscada do que a dos outros envolvidos.

Em seguida, Moleque Travesso conversa com Claudinei sobre a sua participação no crime e a divisão dos valores conseguidos com a prática do crime.

Capturados: Luiz Henrique Fernando dos Santos “Moleque Travesso” e Rafael Rodrigues Ladeia “R7” já estão presos. Claudinei Jonas Pereira, Antônio Carlos Romeiro Lopes, Rafael Barbosa de Souza (o funcionário) e Aderito Batista da Silva foram presos nesta quinta (16), João Helio Fraiz Bardaró foi assassinado em Goiás e o menor não foi localizado.