Anúncios

A mãe de um dos jovens mortos na chacina do motoqueiro fantasma, procurou a equipe de reportagem do site Agora MT na manhã desta quinta-feira (23), para dar a sua versão sobre o crime que vitimou quatro pessoas no dia 12 de novembro. Um deles era o filho dela de 14 anos. A genitora informou que busca por justiça, alegando que seu filho foi morto por engano.

As informações registraram quatro homicídios e seis tentativas de homicídio, ambas realizadas por uma dupla em uma motocicleta Twister de cor vermelha, armada por uma pistola .40.

As mortes aconteceram nos bairros Edelmina Querubim, Vila Mineira, Parque São Jorge e o menor foi morto no Padre Lothar, onde diversas cápsulas de uma pistola .40 ficaram espalhadas no chão. A mãe informou que estava dentro de casa quando ouviu os disparos e saiu correndo para ver o que era, momento em que o amigo da vítima contou que o garoto havia sido baleado.

“Foi um choque, ele morreu inocente e não devia, não tinha passagem. Eu estava em casa, ele me pediu para ir até um amigo do lado quando eu ouvi os tiros, o amiguinho do meu filho disse que ele tinha sido baleado e estava no fundo da casa. Mas os vizinhos o levaram para o Hospital, ele não resistiu e morreu no caminho. Eu já fui na delegacia, ele não roubava, não usava droga, mas os policiais me disseram que não tem o que fazer”, discorre.

As equipes da Polícia Militar realizaram rondas pelas imediações, mas até o final desta matéria, nenhum dos suspeitos foram encontrados. A motivação do crime também não foi divulgada.