Anúncios
Sesp/MT

Cento e oitenta e quatro foi o saldo de testes alcoolemia durante a operação Lei Seca, realizada na noite de sexta-feira (13.10), em da Serra (a 242 km da capital), e no sábado (14.10), em . Os proprietários de veículos que passaram pela área central, em Tangará da Serra, e Avenida Beira Rio com Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha), em Cuiabá, foram abordados.

A Secretaria de Segurança Pública, por meio do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), em Tangará da Serra, registrou duas prisões por embriaguez ao volante e 10 carteiras de habilitação recolhidas. As abordagens aos veículos resultaram na lavratura de 14 autos de infração e 52 testes de alcoolemia.

Os trabalhos durante a noite e madrugada de sexta-feira foram realizados por equipes da Polícia Judiciária Civil, Policia Militar, Corpo de Bombeiros, Departamento de Trânsito do Estado de Mato Grosso (Detran) e Guarda Municipal.

Em Cuiabá, 132 motoristas fizeram o teste de alcoolemia, 20 veículos foram removidos e 14 condutores dirigiam sob influência de álcool ou substância psicoativa. Vinte carteiras de habilitação acabaram recolhidas, seis prisões por embriaguez ao volante foram registradas, 42 autos de infração lavrados e 125 veículos abordados.

Os trabalhos na madrugada de sábado foram realizados por equipes da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), da Polícia Judiciária Civil, do Batalhão da Polícia Militar de Transito (BPMTran), Detran, Grupo de Gestão Integrada (GGI) e Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob).

Balanço

De janeiro a julho deste ano, 186 motoristas embriagados foram presos nas 61 operações Lei Seca realizadas em Mato Grosso. Em sete meses foram deflagradas ações nos municípios de Cuiabá, , Sinop, Lucas do , Tangará da Serra, Rondonópolis, Cáceres, , , São José dos Quatro Marcos, Nova Mutum, Sorriso e Alta Floresta.

Lei Seca

A operação Lei Seca teve início em 2014 e é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), Polícia Militar (PM-MT), Batalhão de Trânsito da PM, Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros, Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), Ministério Público Estadual (MPE), Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) e ().

A intenção é reduzir a violência no trânsito e conscientizar o maior número de motoristas possível, com orientações para que não dirijam após a ingestão de bebidas alcoólicas.

Punição

Dirigir sob efeito de álcool é crime, conforme o (CTB). Os condutores que nos testes de alcoolemia atingirem resultados de 0,05 a 0,33 miligramas de álcool por litro de ar expelido podem ser multados em R$ 2.934,70 e ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa.

Aqueles que ultrapassam esse limite recebem a multa, são detidos e encaminhados para a delegacia onde tem que pagar a fiança e respondem por crime de trânsito.

Já aqueles que se recusam a fazer o teste de alcoolemia são multados e respondem por crime também. Nestes casos a pena pode chegar a até três anos de reclusão e a suspensão ou proibição do direito de dirigir.